A ÁFRICA MANDA

FELA KUTI
(trecho da música Expensive Shit, do álbum do mesmo nome, 1976)

A Nigéria é o país mais populoso da África com mais de 141 milhões de habitantes, conforme estimativa da ONU em 2006.  Um dos maiores produtores de petróleo do mundo é um país marcado por violentos e sucessivos conflitos políticos, miséria e pela AIDS, endêmica.  Em menos de vinte anos, a Nigéria tornou-se o segundo maior produtor de cinema do mundo, ficando atrás da Índia e à frente dos Estados Unidos. Com o detalhe de que a produção é realizada em vídeo para uso doméstico no país que praticamente não possui salas de cinema. Sem dúvida,  esse país é suficiente para prover tratados e pesquisas nos vários ramos das Ciências Humanas,  por décadas, para entender-se tamanhas idiossincrasias.

Essa brevíssima contextualização é necessária situar um fenômeno musical importante surgido a partir da Nigéria.

Foi em 1968 que um nigeriano, Fela Anikulapo Kuti, nascido em Abeokuta (1938) apresentou o afro-beat. Após uma tournê pelos Estados Unidos, o trumpetista, cantor, tecladista, maestro retornou à Nigéria apresentando uma sonoridade complexa que associava os ritmos e cantos africanos ao jazz, com letras engajadas em pidgrin Nigeriano e eventualmente em yoruba.

Sua banda (Africa 70) era composta por diversos músicos, bateristas, trompetistas, saxofonistas, guitarristas, além de cantores e dançarinos.
Abriu seu clube, o Shrine, mais tarde destruído pelo regime militar da Nigéria que também destruiu, em 1977, um estúdio que Fela montara, a Kalakuta República, uma espécie de comuna, o que provocou a perda de registros de várias de suas músicas. No ano seguinte marcou o aniversário da invasão casando-se com 26 mulheres ao mesmo tempo.
Em 1979 fundou seu próprio partido, o Movimento do Povo, lançando-se candidato a presidência. Ao mesmo tempo em que se envolvia mais profundamente na luta política Fela lançou álbuns provocativos e participou de diversos concertos internacionais. Sem, no entanto, tornar-se um ídolo pop, deixou seguidores em todo o mundo, sendo referência fundamental na música Africana.

Fela morreu em 1997, vítima de complicações decorrentes da AIDS. É possível alguém ser mais Nigeriano do que esse homem e sua arte?

Muito mais sobre Fela pode visto, lido e ouvido na web em sites como Fela Project, no myspace e na African Music Encyclopedia

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: